Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/25178
Title: A UTILIZAÇÃO DE MICROCORRENTE COMO RECURSO ELETROTERAPÊUTICO EM CÉLULAS MUSCULARES
Authors: SOARES, GLACIANE POZZA
Type: Dissertação
Keywords: Microcorrente;Corrente Elétrica
Issue Date: 2019
Abstract: A microcorrente (MC) é uma corrente galvânica que utiliza parâmetro de baixa frequência e intensidades na faixa dos microampères (μA) e favorece a cicatrização por estimular o crescimento celular e aliviar quadros álgicos decorrentes da lesão. Apresenta efeitos positivos sobre a aceleração do processo cicatricial, atuando nos eventos fisiológicos e bioquímicos, como o processo inflamatório, além de estimular a síntese de colágeno, na formação do tecido de granulação e revitalização. A utilização da MC se deve a capacidade de interagir de forma natural com os componentes celulares e assim restabelecer as capacidades energéticas, favorecendo dessa forma a condutância e capacidade celular, o que é denominado de bioestimulação. Porém, pouco se sabe a respeito dos mecanismos biológicos envolvidos na sua utilização. Objetivo: Avaliar os efeitos da MC na morfologia, viabilidade celular e expressão de citocinas inflamatórias em cultura de células musculares C2C12. Material e métodos: As células foram cultivadas em meio de Eagle modificado Dulbecco (DMEM) suplementado com soro fetal bovino a 10% e 1% de antibiótico e antimicótico e mantidas em estufa de CO2 a 5% e 37 ºC. Para determinação da densidade celular ideal de plaqueamento, após semi-confluência as células foram transferidas para placas de 6 poços nas densidades de 5x104, 1x105, 3x105 e 5x105 e avaliadas após 24, 48 e 72 hs. Uma vez que a melhor densidade celular de plaqueamento foi estabelecida, a MC foi aplicada aos poços a cada 24 horas durante 1 (T1), 2 (T2) e 3 (T3) dias nas seguintes intensidades: 0 (controle - GC), 60 (G60), 100 (G100), 500 (G500) e 900 (G900) μA. A viabilidade celular foi avaliada pelo método MTT [3-(4,5-dimethylthiazol-2-yl)-2,5 diphenyl tetrazolium bromide]. O grupo (intensidade e tempo) que apresentou maior aumento da viabilidade celular foi avaliado ainda para quantificação dos mediadores inflamatórios IL-2 IL-4, IL-6, IL-10, IL-17A, IFN e TNF por meio da citometria de fluxo. Os dados foram comparados pelo teste ANOVA de dois fatores seguido pelo pós-teste de Tukey, considerando nível de significância de 5%. Resultados: A densidade celular de plaqueamento foi estabelecida em 1x105 células/poço. Após irradiação, os grupos G500 e G900 apresentaram aumento da viabilidade celular entre os tempos T1 e T2 (p<0,05), enquanto que os grupos G60 e G100 não demonstraram diferença significativa entre os três tempos experimentais. No G900 também foi observado aumento significante da viabilidade celular entre os tempos T1 e T3. As comparações entre os grupos mostraram diferença entre os grupos no T1, sendo que a viabilidade celular foi maior para G900 quando comparado a todos os demais grupos experimentais (p<0,0001). O grupo G500 também apresentou viabilidade maior que os grupos G60 e G100 (p<0,05) no T1. A citometria de fluxo foi realizada nos grupos GC e G900 no T1. Foi possível observar um aumento da IL-6 e IL-10 e diminuição da IL-2. As demais citocinas não se apresentaram em níveis quantificáveis pelo método utilizado. Conclusão: A aplicação única da MC na intensidade de 900 μA resulta em maior estímulo para proliferação e altera a resposta inflamatória de células musculares, o que sugere que a utilização de doses mais altas é eficiente a nível celular, não necessitando de reaplicação.
URI: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/25178
Appears in Collections:Teses e Dissertações do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Reabilitação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo e dissertação defesa 08-07 (1).pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.